setembro 26, 2020

Globo de Ouro 2020 | Vencedores

 

A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) realizou na noite desse domingo (05), a cerimônia de entrega do Globo de Ouro 2020. Com lançamento marcado para esta semana nos cinemas norte-americanos e no dia 23 no Brasil, “1917” conquistou o prêmio de melhor Filme de Drama e de melhor Diretor. O épico de Sam Mendes, cuja história é contada em tempo real e se passa durante a Primeira Guerra Mundial, desbancou obras como “O Irlandês” e “Coringa”.

Quentin Tarantino e sua turma de “Era Uma Vez em… Hollywood”, o melhor Filme de Comédia ou Musical do Globo de Ouro 2020. Foto: Reprodução

O mais premiado da noite, contudo, foi “Era Uma Vez em… Hollywood”. Além de melhor Filme de Comédia ou Musical, ele deu a Quentin Tarantino o prêmio de Roteiro e a Brad Pitt o de Ator Coadjuvante. Joaquin Phoenix confirmou seu grande favoritismo como melhor Ator de Drama pelo papel do icônico Coringa. O mesmo aconteceu com Renée Zellweger, considerada a melhor Atriz de Drama, por “Judy”, em que interpreta ninguém menos que Judy Garland.

Joaquin Phoenix, o melhor Ator de Drama, por “Coringa”, e um discurso pra lá de inusitado. Foto: Reprodução

Elton John levar o prêmio de Canção Original com “(I’m Gonna) Love Me Again”, ao lado de Bernie Taupin, por sua cinebiografia “Rocketman”, foi mais do que justo, mas Taron Egerton ganhar como melhor Ator de Comédia ou Musical, diante dos excepcionais trabalhos de Leonardo DiCaprio e Eddie Murphy, me pareceu um pouco demais. Em sua estreia na premiação, Awkwafina ficou com o troféu de melhor Atriz de Comédia ou Musical por “The Farewell”.

Numa edição criticada pela ausência de mulheres na categoria de Direção, a islandesa Hildur Guðnadóttir fez História ao se tornar a primeira compositora a conquistar sozinha, o Globo de Ouro de melhor Trilha Sonora, por “Coringa”. Jennifer Lopez que foi “embrulhada pra presente” pra receber o prêmio de Atriz Coadjuvante, viu Laura Dern, de “História de Um Casamento”, vencer em seu lugar. Líder em indicações, esta foi a única vitória do drama familiar da Netflix.

Bong Joon-ho continua com sua trajetória de vitórias nas premiações. Foto: Reprodução

Uma das obras mais consagradas do ano, começando com a Palma de Ouro de Cannes, “Parasita”, de Bong Joon-ho, foi eleita o melhor Filme Estrangeiro. “Uma vez superada a barreira das legendas, vocês conhecerão muitos filmes incríveis”, disse o cineasta sul-coreano, em sua língua natal, no discurso de agradecimento. Na categoria de melhor Animação, “Link Perdido”, feito com a técnica de stop motion, superou sequências e remake de sucesso da Disney/Pixar.

“Em 1977, quando eu era estagiário no festival de Shakespere, todo mundo gritou com a gente, ‘vocês precisam chegar na hora certa, sabendo as falas’. Essa foi a melhor lição para um jovem ator. (…) Chegar pontualmente no estúdio é uma das maiores ações que você pode fazer para um filme.” Tom Hanks em seu discurso de agradecimento. Foto: Reprodução

Tom Hanks recebeu o Cecil B. DeMille Award, concedido a um nome ilustre da indústria cinematográfica como reconhecimento por suas contribuições artísticas. Após homenagear sua família, o que o deixou bastante emocionado, ele ressaltou o ofício de ator e a importância de ser profissional. Quem apresentou o prêmio foi Charlize Theron, cuja primeira grande oportunidade na carreira foi com “The Wonders – O Sonho Não Acabou” (1996), dirigido pelo astro.

Depois do Emmy, Phoebe Waller-Bridge também domina o Globo de Ouro com sua “Fleabag”. Foto: Reprodução

A Associação costuma apostar em novidades nas categorias de TV, no entanto, este ano, não teve como não se curvar diante de algumas unanimidades. Assim como no Emmy, Phoebe Waller-Bridge foi o nome mais comentado, ganhando o Globo de Ouro de melhor Série de Comédia e melhor Atriz, por “Fleabag”. Já “Chernobyl” se manteve como a melhor Minissérie e Stellan Skarsgard, pelo mesmo, como Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme.

Michelle Williams, por “Fosse/Verdon”, também levou merecidamente pra casa o troféu de melhor Atriz de Minissérie ou Telefilme. As maiores novidades ficaram por conta de “Succession” que em sua segunda temporada tem ganhado cada vez mais força e popularidade. Além de melhor Série de Drama, Brian Cox foi o melhor Ator. Olivia Colman que no ano passado foi a melhor Atriz por “A Favorita”, desta vez foi a melhor Atriz de Série de Drama, por “The Crown”.

O sucesso da família de “Succession”. Foto: Reprodução

Patricia Arquette também conta duas vitórias consecutivas. Em 2019, ela venceu como melhor Atriz de Minissérie ou Telefilme por “Escape at Dannemora” e, desta vez, como melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme por “The Act”. Ausente devido aos incêndios na Austrália, onde mora com a família, Russell Crowe foi o melhor Ator de Minissérie, por “The Loudest Voice”. Pouco conhecido, Rami Yousef foi melhor Ator de Comédia, por “Rami”.

Toda glória e honra a Ellen DeGeneres. Foto: Reprodução

Concedido a um nome influente da televisão, a apresentadora e atriz Ellen DeGeneres recebeu o Carol Burnett Award. Ela foi a segunda a conquistar tal honraria que em 2019 foi concedido à atriz que dá nome ao prêmio. A comediante Kate MCKinnon apresentou a homenagem. No geral, a Netflix que chegou com força total nas indicações de filmes e séries, acabou tendo um resultado muito aquém do desejado. A HBO, por outro lado, confirmou sua supremacia.

Com Ricky Gervais como anfitrião – pela quinta e última vez, segundo o próprio – a cerimônia do Globo de Ouro 2020 começou ácida, com muitos na plateia engolindo em seco as piadas. Já os discursos de agradecimento foram de descontraídos a politizados, principalmente por parte das mulheres. No todo, foi uma edição morna e sem ousadia. No quesito audiência, de acordo com dados preliminares, houve uma queda nos números comparados ao ano passado.

A festa da Imprensa Estrangeira de Hollywood foi realizada no tradicional Beverly Hilton Hotel, em Beverly Hills. A seguir, confira a lista com os vencedores nas categorias de Cinema e TV.

CINEMA

Melhor Filme – Drama

“1917”

“Coringa”

“Dois Papas”

“História de Um Casamento”

“O Irlandês”

O retorno triunfal de Renée Zellweger aos holofotes do Globo de Ouro. Foto: Reprodução

Melhor Atriz – Filme de Drama

Cynthia Erivo – “Harriet”

Saoirse Ronan – “Adoráveis Mulheres”

Scarlett Johansson – “História de um Casamento”

Charlize Theron – “O Escândalo”

Renée Zellweger – “Judy”

 

Melhor Ator – Filme de Drama

Christian Bale – “Ford vs Ferrari”

Antonio Banderas – “Dor e Glória”

Adam Driver – “História de Um Casamento”

Joaquin Phoenix – “Coringa”

Jonathan Pryce – “Dois Papas”

 

Melhor Filme – Musical ou Comédia

“Entre Facas e Segredos”

“Era Uma Vez em… Hollywood”

“Jojo Rabbit”

“Meu Nome é Dolemite”

“Rocketman”

A ascensão de Awkwafina. Foto: Reprodução

Melhor Atriz – Musical ou Comédia

Ana de Armas – “Entre Facas e Segredos”

Awkwafina – “The Farewell”

Cate Blanchett – “Cadê Você, Bernadette?”

Beanie Feldstein – “Fora de Série”

Emma Thompson – “Late Night”

 

Melhor Ator – Musical ou Comédia

Daniel Craig – “Entre Facas e Segredos”

Roman Griffin Davis – “Jojo Rabbit”

Leonardo DiCaprio – “Era Uma Vez em… Hollywood”

Taron Egerton – “Rocketman”

Eddie Murphy – “Meu Nome é Dolemite”

Taron Egerton, a escolha apurada de Elton John para “Rocketman”. Foto: Reprodução

Melhor Filme de Animação

“Como Treinar o seu Dragão 3”

“Frozen 2”

“Link Perdido”

“O Rei Leão”

“Toy Story 4”

 

Melhor Filme Estrangeiro

“Dor e Glória” (Espanha)

“The Farewell” (Estados Unidos/China)

“Les Misérables” (França)

“Parasita” (Coreia do Sul)

“Retrato de uma Dama em Chamas” (França)

Laura Dern e sua história com o Globo de Ouro. Foto: Reprodução

Melhor Atriz Coadjuvante

Kathy Bates – “O Caso Richard Jewell”

Annette Bening – “O Relatório”

Laura Dern – “História de Um Casamento”

Jennifer Lopez – “As Golpistas”

Margot Robbie – “O Escândalo”

 

Melhor Ator Coadjuvante

Tom Hanks – “Um Lindo Dia na Vizinhança”

Anthony Hopkins – “Dois Papas”

Al Pacino – “O Irlandês”

Joe Pesci – “O Irlandês”

Brad Pitt – “Era Uma Vez em… Hollywood”

“Enquanto eu estava olhando para todos estes nomes: Al Pacino, Joe Pesci, Tom Hanks e Anthony Hopkins. Eles são como deuses para mim. Isso é uma honra. (…) Antes de ‘O Regresso’, eu costumava assistir, ano após ano, aos colegas dele [Leonardo DiCaprio] aceitando prêmios, levantando e agradecendo a ele profundamente. Eu sei por que, ele é uma estrela completa. Ele é um nobre, não estaria aqui sem ele.” Brad Pitt e sua gratidão. Foto: Reprodução

Melhor Diretor

Bong Joon-ho – “Parasita”

Sam Mendes – “1917”

Todd Phillips – “Coringa”

Martin Scorsese – “O Irlandês”

Quentin Tarantino – “Era Uma Vez em… Hollywood”

 

Melhor Roteiro

Noah Baumbach – “História de Um Casamento”

Bong Joon-ho e Han Jin-won – “Parasita”

Anthony McCarten – “Dois Papas”

Quentin Tarantino – “Era uma Vez em… Hollywood”

Steven Zaillian – “O Irlandês”

Hildur Guðnadóttir, a “Coringa” da noite. Foto: Reprodução

Melhor Trilha Sonora

Daniel Pemberton – “Brooklyn – Sem Pai Nem Mãe”

Alexandre Desplat – “Adoráveis Mulheres”

Hildur Guðnadóttir – “Coringa”

Thomas Newman – “1917”

Randy Newman – “História de Um Casamento”

Elton John e seu parceiro profissional de longa data Bernie Taupin. Foto: Reprodução

Melhor Canção Original

“Beautiful Ghosts” – Música & Letra por Andrew Lloyd Webber e Taylor Swift – “Cats”

“(I’m Gonna) Love Me Again” – Música por Elton John e Letra por Bernie Taupin – “Rocketman”

“Into the Unknown” – Música & Letra por Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez – “Frozen 2”

“Spirit” – Música & Letra por Timothy McKenzie, Ilya Salmanzadeh e Beyoncé – “O Rei Leão”

“Stand Up” – Música & Letra por Joshuah Brian Campbell e Cynthia Erivo – “Harriet”

 

TELEVISÃO

 

Melhor Série – Drama

“Big Little Lies”

“The Crown”

“Killing Eve”

“The Morning Show”

“Succession”

A favorita também na TV, Olivia Colman. Foto: Reprodução

Melhor Atriz em Série de Drama

Jennifer Aniston – “The Morning Show”

Olivia Colman – “The Crown”

Jodie Comer – “Killing Eve”

Nicole Kidman – “Big Little Lies”

Reese Witherspoon – “The Morning Show”

 

Melhor Ator em Série de Drama

Brian Cox – “Succession”

Kit Harrington – “Game of Thrones”

Rami Malek – “Mr. Robot”

Tobias Menzies – “The Crown”

Billy Porter – “Pose”

 

Melhor Série – Comédia

“Barry”

“Fleabag”

“The Marvelous Mrs. Maisel”

“O Método Kominsky”

“The Politician”

 

Melhor Atriz em Série de Comédia

Cristina Applegate – “Disque Amiga para Matar”

Kirsten Dunst – “On Becoming God in Central Florida”

Rachel Brosnahan – “The Marvelous Mrs. Maisel”

Natasha Lyonne – “Boneca Russa”

Phoebe Waller-Bridge – “Fleabag”

 

Melhor Ator em Série de Comédia

Michael Douglas – “O Método Kominsky”

Bill Hader – “Barry”

Ben Platt – “The Politician”

Paul Rudd – “Cara x Cara”

Rami Yousef – “Rami”

Stellan Skarsgard e o reconhecimento de “Chernobyl”. Foto: Reprodução

Melhor Minissérie ou Telefilme

“Catch-22”

“Chernobyl”

“Fosse/Verdon”

“Inacreditável”

“The Loudest Voice”

“Escolher quando ter meus filhos e com quem, quando me senti apoiada e capaz de equilibrar nossas vidas, pois todas as mães sabem que a balança deve e vai se inclinar para nossos filhos. Agora eu sei que minhas escolhas podem parecer diferentes das suas, mas graças a Deus ou a quem você ora, vivemos em um país fundado nos princípios de que sou livre para viver pela minha fé e você é livre para viver pela sua. Então, mulheres de 18 a 118 anos, quando for a hora de votar, faça-o por seu interesse. É o que os homens fazem há anos, e é por isso que o mundo se parece muito com eles, mas não se esqueça de que estamos [mulheres] em maior número de votantes neste país. Vamos fazer com que ele se pareça mais com a gente.” Michelle Williams em todo o seu esplendor e engajamento. Foto: Reprodução

Melhor Atriz em Minissérie

Kaitlyn Dever – “Inacreditável”

Joey King – “The Act”

Helen Mirren – “Catherine the Great”

Michelle Williams – “Fosse/Verdon”

Merritt Wever – “Inacreditável”

 

Melhor Ator em Minissérie

Chris Abbott – “Catch-22”

Sacha Baron Cohen – “O Espião”

Russell Crowe – “The Loudest Voice”

Jared Harris – “Chernobyl”

Sam Rockwell – “Fosse/Verdon”

“Estou muito grata por estar aqui e celebrar isso, mas também sei que hoje à noite, 5 de janeiro de 2020, quando olharmos para trás e lermos sobre essa noite em livros de História, veremos um país à beira da guerra. Nos Estados Unidos da América um presidente tuitou ameaças. Jovens arriscando suas vidas viajando pelo mundo. Pessoas que não sabem se as bombas vão cair na cabeça de seus filhos. E como eu amo muito meus filhos, imploro a todos nós que lhes demos um mundo melhor. Para nossos filhos e os filhos eles, temos que votar em 2020 e temos que implorar a todos que conhecemos para votar em 2020.” Patricia Arquette em mais um discurso de agradecimento certeiro. Foto: Reprodução

Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme

Patricia Arquette – “The Act”

Helena Bonham Carter – “The Crown”

Toni Collette – “Inacreditável”

Meryl Streep – “Big Little Lies”

Emily Watson – “Chernobyl”

 

Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Telefilme

Alan Arkin – “O Método Kominsky”

Kieran Culkin – “Succession”

Andrew Scott – “Fleabag”

Stellan Skarsgard – “Chernobyl”

Henry Winkler – “Barry”

 

%d blogueiros gostam disto: