Guava Island (2019) | Crítica

Reforçando a parceria de Donaldo Glover com Hiro Murai, que nos trouxe o excelente clipe This is America, e a premiada série Atlanta, volta para nos presentear com um curta-metragem recheado de muita música, cultura, e uma discussão sobre a importância de ser um símbolo que represente um povo, uma cultura, ou apenas uma ideia.

Para reforçar o elenco, temos a presença de Rihanna, um pouco contida, mas não menos brilhante. Logo no começo, sua voz narra a mitologia da Ilha Guava, onde somos apresentados desde sua formação até sua exploração pela indústria, a animação explora bem o lado visual de uma ilha antes extremamente próspera e pacífica, com seu ambiente totalmente preservado sendo tomado pelo cinza das industrias e suas nuvens de fumaça.

Deni Maroon (Donald Glover) é um jovem extremamente popular em Guava, tocando na rádio e animando a vida de uma população tomada por um governo totalitário, controlado pelas industrias Cargo. Por outro lado, Kofi Novia (Rihanna) idealiza uma vida fora da ilha enquanto trabalha em uma das industrias Cargo. É com esse sentimento de dualidade que vemos os dois personagens interagirem, enquanto Deni é uma pessoa feliz, que idealiza uma vida melhor dentro da ilha e sabe da realidade fora de lá, Kofi passa o sentimento de que sonha com algo distante, toda as vezes que aparece em tela é sempre com um olhar distante, que precisa de alguma realização.

O mais interessante de Guava Island, é a forma que se conta a sua história com ajuda da trilha sonora, temos ali vários hits de Childish Gambino que acompanham a trajetória dos personagens, com a direção de Hiro Murai se tornando pontual em diversos momentos, intensificando o sentimento das pessoas em suas vidas simples, acompanhando pelo rádio aquele pequeno momento que se sentem libertas. Além das performances de This is America, toda a sequência do fechamento do filme é simplesmente bela, o símbolo sobreviveu, trazendo o sentimento de liberdade para as pessoas, mesmo que por um dia.

Temos aqui uma obra que valoriza o mártir, fortalecendo a valorização da cultura, que pode incentivar um povo a ter sua própria liberdade, enfrentando um totalitarismo mesmo em uma ilha esquecida pelo mundo. A narração final evidencia demais a ideia que sobreviveu na Ilha de Guava.

  • Título Original: Guava Island
  • Duração: 55 min.
  • Direção: Hiro Murai
  • Roteiro: Stephen Glover
  • Elenco: Donald Glover, Rihanna, Letitia Wright, Nonso Anozie

Rafinha Santos

Depois de lutar ao lado de Aragorn na Terra Média, enfrentar a Matrix junto com Neo e salvar o planeta de novo junto com Os Vingadores, viajei para uma galáxia muito muito distante, e fiquei recluso no planeta Hoth por muitos anos, até saber que Luke Skywalker foi finalmente encontrado por uma menina chamada Rey. Aparentemente é o tempo dos Jedis acabarem... Porém, durante minha busca pelo último templo Jedi, minha nave deu pane de vim parar em outra galáxia. Nela, todas esses eventos que eu citei são mera ficção, e agora escrevo críticas sobre eles... É como Rick me diria: Não pense nisso!

%d blogueiros gostam disto: