Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Homecoming, 2017) | Revisão

Depois de 13 anos no comando da Sony, com 5 filmes, o Homem-aranha era anunciado no filme Guerra Civil, em um acordo com a Marvel. Foram muitos erros e acertos nas histórias do Amigão da Vizinhança, mas finalmente ele chegava na Casa das Ideias, e com grande estilo, sendo apresentado no terceiro filme do Capitão América, onde podemos ver um pouco do carisma e inseguranças de Peter Parker, e também o Homem-Aranha em cenas de ação. Foi um grande presente para qualquer fã.

Agora, em seu filme solo, vemos os frutos da Guerra Civil, Peter continuando com seu uniforme novo, e seguindo para sua rotina, resolvendo pequenos casos, enquanto tentava se provar para Tony Stark, buscando sua atenção. O grande acerto do filme, foi trazer um ator que correspondia com a idade de Peter Parker nos quadrinhos, mostrando bastante da sua rotina na escola, enquanto tentava conciliar estudos e sua vida como herói.

Até que sua vida como herói começa a ficar mais complicada quanto ele se encontra com a primeira e crescente ameaça; armas com tecnologia alienígena deixada pela guerra no primeiro vingadores, algo que move toda a trama. Ver a consequência que o primeiro Vingadores trouxe é muito interessante, isso estabelece o quanto o impacto alienígena construiu submundos que não conhecemos ainda, e trás grandes alternativas para histórias diferentes. Vemos um mundo de armas avançadas, com poderes quase infinitos e ainda desconhecidos por seus usuários. O Abutre foi criado justamente por não ser possível controlar tudo, e atuava pelas sombras até seu primeiro encontro com o Aranha.

A ação do filme é muito boa, desde os encontros crescentes do Aranha com o Abutre, até sua luta final. Jon Watts, que veio do maravilhoso Cop Car, faz um ótimo trabalho. O mais interessante, é o filme conseguir equilibrar cenas de tensão, e cenas cômicas. Você consegue se identificar com as situações, justamente pelo envolvimento com as descobertas de Peter no filme. Seu envolvimento com Tony Stark, que serve como uma espécie de figura paterna, também é muito bem estabelecido, com cenas de conflito e mais emocionais. Também vemos as consequências de Guerra Civil no próprio Tony. Peter sabe o que tem que fazer, passa uma grande parte do filme tentando se provar, e no final entende que precisava fazer para ser um herói de verdade, ter a coragem para tomar suas próprias decisões.

Ao contrário dos filmes anteriores, esse nos trás um vilão nunca apresentado na tela, O Abutre, diferente, e melhor adaptado para o cinema, Adrian Toomes é bem estabelecido com suas motivações -Michael Keaton está ótimo – sendo uma das maiores revelações do filme, se tornando um ótimo vilão, sendo uma ameaça silenciosa por muito tempo, algo que poderia ter consequências bem piores.

De Volta ao Lar tem mais acertos do que erros, e um dos grandes erros do filme foi transformar o Homem-Aranha em um mini Homem de Ferro, como seu uniforme novo foi desenvolvido por Tony, que adicionou muitas funções e artimanhas, tirando toda simplicidade que é o característica máxima do Homem-Aranha, que tem cenas específicas para explicar uma pequena parcela do que o uniforme poderia fazer. Por mais que Peter ainda esteja no começo de sua jornada, sua experiência com o uniforme se tornará maior, então seus vilões não poderão ser tão simples.

De Volta ao Lar foi uma grande e ótima adição ao universo cinematográfico da Marvel, estabelecendo seu novo herói nas telas, algo que muitos fãs sonhavam, e também novos rumos ao Cabeça de Teia nos cinemas, agora no seu devido Lar.

Homem-Aranha: De Volta ao Lar (Homecoming, 2017) | Revisão

  • Duração: 118 min.
  • Direção: Jon Watts
  • Roteiro: John Francis Daley , Jonathan M. Goldstein
  • Elenco: Tom Holland , Marisa Tomei , Zendaya Coleman , Michael Keaton

Homem Aranha: De Volta ao Lar (Homecoming, 2017) | Revisão

9

Nota

9.0/10

Rafinha Santos

Depois de lutar ao lado de Aragorn na Terra Média, enfrentar a Matrix junto com Neo e salvar o planeta de novo junto com Os Vingadores, viajei para uma galáxia muito muito distante, e fiquei recluso no planeta Hoth por muitos anos, até saber que Luke Skywalker foi finalmente encontrado por uma menina chamada Rey. Aparentemente é o tempo dos Jedis acabarem... Porém, durante minha busca pelo último templo Jedi, minha nave deu pane de vim parar em outra galáxia. Nela, todas esses eventos que eu citei são mera ficção, e agora escrevo críticas sobre eles... É como Rick me diria: Não pense nisso!

%d blogueiros gostam disto: