Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Revisão

Tony Stark é o herói mais famoso e valioso da Marvel, muito se deve ao grande sucesso que foi Robert Downey Jr. interpretando com valor quase autobiográfico no filme que iniciou a campanha da empresa nos cinemas. O segundo filme viria a agradar novamente, sendo um filme bom, mas que pecou na hora da escolha e resolução do vilão. Homem de Ferro 3 mantém o nível do segundo, mas de novo peca em alguns aspectos.

Após os eventos de Os Vingadores, cada membro da equipe seguiu um rumo diferente, e não sabemos o estado mental de cada personagem. Em seu terceiro filme, vemos que Tony está tentando ocupar a cabeça em sua oficina, construindo novas armaduras, sem dormir por dias, em constante estado de alerta.

O medo interno do personagem é muito bem explorado, Tony passou meses criando novas armaduras para se proteger de qualquer novo ataque, e para piorar toda a situação, ele está sofrendo constantes crises de ansiedade. É interessante a Marvel tentar discutir um tema sério – sem mudar completamente seu tom – para construir uma tensão no personagem, demonstrando o que ele esconde por trás de sorrisos e sarcasmos. O problema nisso tudo, é não ser corajoso para continuar com isso.

Até metade do filme, Tony sofre com crises constantes, e na outra metade, não fica claro se ainda existe o problema. No meio disso tudo, piadas desnecessárias são introduzidas para lembrar de que o filme não é tão sério assim, e eu entendo o limite de idade, porém se não for pra discutir um tema seríssimo assim a fundo, então nem comece.

Felizmente, o vilão foi outro, mas infelizmente, a mistura Extremis com Mandarim, foi uma grande decepção para os fãs. A boa notícia é que todo o esquema de manipulação da mídia, de esconder o verdadeiro vilão, é uma ideia genial, e funciona muito bem. É algo corajoso de se fazer, considerando ser um filme de herói. O problema é que o verdadeiro Mandarim poderia ter sido melhor aproveitado, é um vilão clássico dos quadrinhos e teria muito potencial. (Esqueçam aquele curta que saiu depois, foi apenas esquema para acalmar os fãs).

Outro ponto alto do filme, é ter boas cenas de ação, apesar de eu preferir a direção de Jon Favreau no lugar de Shane Black. A cena da queda da mansão é toda bem coreografada e bonita em termos visuais, a queda do avião tem uma resolução divertida, e o clímax da batalha final também é bom, apesar de ser apenas um motivo pra vender mais bonecos, fica justificado a construção de tantas armaduras.

Eu não condeno Homem de Ferro 3, mas algumas decisões de roteiro foram muito falhas e acabaram prejudicando o filme, numa mistura de coragem e covardia. Eu gostei de rever, ainda é o mesmo Tony Stark que conhecemos.

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Crítica

  • Duração: 130 min.
  • Direção: Shane Black
  • Roteiro: Shane Black, Drew Pearce
  • Elenco: Robert Downey Jr. , Gwyneth Paltrow , Guy Pearce , Don Cheadle , Ben Kingsley ,Rebecca Hall , Jon Favreau

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Revisão

4

Nota

4.0/10

Rafinha Santos

Depois de lutar ao lado de Aragorn na Terra Média, enfrentar a Matrix junto com Neo e salvar o planeta de novo junto com Os Vingadores, viajei para uma galáxia muito muito distante, e fiquei recluso no planeta Hoth por muitos anos, até saber que Luke Skywalker foi finalmente encontrado por uma menina chamada Rey. Aparentemente é o tempo dos Jedis acabarem... Porém, durante minha busca pelo último templo Jedi, minha nave deu pane de vim parar em outra galáxia. Nela, todas esses eventos que eu citei são mera ficção, e agora escrevo críticas sobre eles... É como Rick me diria: Não pense nisso!

%d blogueiros gostam disto: