Meninos Não Choram (Boys Don’t Cry, 1999) | Crítica

Em uma lista de filmes mais triste que existem, esse filme estaria disputando o trono, junto com filmes como Manchester à Beira-Mar e Dançando no Escuro, porém, é uma lista vasta e esse filme recebe o destaque por ser um assunto que até os dias de hoje é um tabu, transsexualidade. A biografia narra um terço da historia real de Brandon Teena (Hilary Swank), um homen transgênero que viveu como forasteiro em Falls City, no estado de Nebraska, o filme ainda mostra sua relação amorosa com Lana (Chloë Sevigny) e suas aventuras com John (Peter Sarsgaard).

O feito aqui é a veracidade que Kimberly Peirce (Diretora) injeta na historia, assim também como roteirista, é muito cuidadosa a forma como os fatos foram documentados e transcritos para um roteiro que, apesar de suas falhas ao descrever alguns personagens secundários, ganhar força ao destacar a forte e monumental da Hilary, um caso do filme em que a atriz ajuda a direção e a direção trabalha pela atriz. Em aspectos técnicos, a direção de arte faz um bom trabalho com os figurinos e a construção dos anos 90 na pequena cidade, uma fotografia que está sempre composta com algum personagem ou pessoa, em outras palavras, é um filme de atores, não tirando mérito da diretora, mas ela soube muito bem aonde trabalhar.

Vamos falar da Hilary Swank: carisma, inocência, jovialidade, senso de humor, afeto, por outro lado, ela transmite, luto, vergonha, descrença e ingenuidade, e em muitos momentos sem abrir a voz para gritar, chorar, ou dizer o que sente. Isso sim é atuação, foi um lindo Oscar que recebeu.

Destaque fica para Chloë Sevigny, a personagem se forma do mesmo pensamento de Brandon e os mesmo sonhos e desejos, sua força de afeto e seguro são o forte dessa personagem e o Peter Sarsgaard com seu arrogância e elegância.

Meninos Não Choram é aquele filme em que se coloca na balança e separa: se você quer ver um bom filme com uma monstruosa interpretação e um bom elenco, assista, se você quer um filme apenas para acompanhar a historia, assista também, mas saiba aonde esta se metendo, não é um filme fácil de assistir, é um carga dramática muito forte e o filme é digno disso, graças ao trabalho de sua diretora que soube aonde mexer e dar espaço para sua estrela brilhar.

Meninos Não Choram (Boys Don’t Cry, 1999) | Crítica

  • Duração: 118 min.
  • Direção: Kimberly Peirce
  • Roteiro: Kimberly Peirce, Andy Bienen
  • Elenco: Hilary Swank, Chloë Sevigny, Peter Sarsgaard, Brandan Sexton III

Meninos Não Choram (Boys Don't Cry, 1999) | Crítica

7.5

Nota

7.5/10

Vinicius Chaves

Sou Vinicius, tenho 21 anos e moro em São Paulo desde o meu nascimento. Sou formado em Audiovisual e estou nessa estrada longa e maravilhosa há 7 anos. Dou muito valor para amizades e principalmente minha família e me dedico meu tempo à ver muito filmes e projetar meu futuro como cineasta.

%d blogueiros gostam disto: