Oscar 2019 | Vencedores

Ao som de “We Will Rock You” e “You’re are the Champions”, o Queen abriu o Oscar 2019 colocando o público no teatro Dolby e em casa para cantar. Após um breve clipe com algumas produções do ano passado, Tina Fey, Amy Poehler e Maya Rudolph entraram no palco para abrir os trabalhos com o prêmio de melhor Atriz Coadjuvante. Em sua primeira indicação, Regina King foi a vencedora, por “Se a Rua Beale Falasse”. Em seu discurso, ela começou dizendo que estar ali representando “um dos maiores artistas do nosso tempo” e autor do livro que originou o filme e importante ativista dos direitos civis nos EUA, era “surreal”.

Foto: Reprodução

“James Baldwin deu à luz esse bebê e Barry [Jenkins, diretor], você o criou, você a cercou com muito amor e apoio, então é apropriado que eu esteja aqui de pé porque sou um exemplo do que acontece quando se recebe apoio e amor”, Regina King.

Em seguida foi a vez de Jason Momoa e Helen Mirren revelarem o Oscar de melhor Documentário que foi para “Free Solo”, dirigido por Elizabeth Chai Vasarhelyi e Jimmy Chin. Logo no começo, ficou claro que as mulheres iam dominar a noite. O músico Tom Morello, do Rage Against The Machine, introduziu o clipe do primeiro indicado como melhor Filme, “Vice”, e enfatizou o seu tom político. Logo em seguida, a sátira de Adam McKay recebeu a estatueta de melhor Maquiagem & Cabelo, entregue por Stephan James e Elsie Fisher. Melissa McCarthy pode não ter ganhado o Oscar, mas foi a melhor apresentadora da noite.

Ao lado de Brian Tyree Henry, ela anunciou o melhor Figurino que foi o de “Pantera Negra”. Ruth Carter fez questão de reverenciar o diretor de “Lute Pela Coisa Certa” (1988) que marcou sua estreia no cinema. “Isso levou tanto tempo… Spike Lee, obrigado por ser meu começo. Espero que isso te deixe orgulhoso. Marvel criou o primeiro super-herói negro, mas com o nosso figurino o transformamos em um rei africano”, ressaltou. O prêmio de Design de Produção, apresentado por Jennifer Lopez e Chris Evans, o Capitão América, também foi para a superprodução. Bastante emocionada, Hannah Beachler, junto com o Jay R. Hart, lembrou do diretor Ryan Coogler.

Em apenas um bloco, Hannah Beachler e Ruth Carter fizeram história ao se tornarem as primeiras mulheres negras a vencerem em suas respectivas categorias. Foto: Reprodução

Tendo a Direção de Fotografia quase deixada de fora da transmissão televisionada, Tyler Perry fez questão de alfinetar a Academia por ter mudado de ideia. Pelo estupendo trabalho em “Roma”, Alfonso Cuarón foi o vencedor. “É bem conhecido que no escritório de Billy Wilder havia uma placa que dizia: ‘O que [Ernest] Lubitsch teria feito?’ E para mim foi: ‘O que o cineasta e colaborador de longa data de Cuarón, Chivo Lubezki, faria?’ Então, isso é para você também, Chivo”, agradeceu o cineasta ao premiado diretor de fotografia Emmanuel Lubezki. Também mencionou suas duas atrizes, Yalitza Aparicio e Marina De Tavira.

O último filme em preto e branco que havia ganhado foi “A Lista de Schindler”, de Steven Spielberg, em 1994. Direto de Westeros, Emilia Clarke apresentou a primeira Canção indicada. Escrita por Diane Warren para o documentário “RBG”, “I’ll Fight” foi interpretada por Jennifer Hudson que exagerou no grito. Com a intenção de abranger uma audiência maior, a tenista Serena Williams foi a responsável por chamar o clipe de “Nasce Uma Estrela”.

Coerente em se tratando de uma obra musical, os Oscars de Edição de Som e Mixagem de Som, entregues por James McAvoy e Danai Gurira, foram para “Bohemian Rhapsody”. Queen Latifah foi incumbida de introduzir o clipe do drama histórico “A Favorita”. Em espanhol, Javier Bardem enfatizou que “não há fronteiras ou muros que possam conter engenhosidade e talento” ao anunciar o melhor Filme Estrangeiro, acompanhado de Angela Bassett. “Roma” confirmou seu favoritismo e levou a primeira estatueta da categoria para o México, a segunda da noite para Cuarón.

Foto: Reprodução

“Cresci vendo filmes em língua estrangeira, aprendendo muito com eles, me inspirando. Filmes como ‘Cidadão Kane’, ‘Tubarão’, ‘Rashomon’, ‘O Poderoso Chefão’ e ‘Acossado’. Não há ondas, só um oceano. Acho que os indicados desta noite provam que somos parte do mesmo oceano”, Alfonso Cuarón.

Para chamar a segunda Canção indicada, “The Place Where Lost Things Go”, de “O Retorno de Mary Poppins”, Keegan-Michael Key desceu do teto do teatro segurando um guarda-chuva. Sem a presença de Emily Blunt, a sempre competente Bette Midler, ao lado do compositor Marc Shaiman, a defendeu muito bem. O clipe de “Pantera Negra” ficou a cargo do comediante Trevor Noah e sobrou uma tirada até para Mel Gibson. Revelado por Michael Keaton, um dos prêmios indicativos de melhor Filme, o de melhor Edição, acabou ficando com “Bohemian Rhapsody”.

Com a trilha de 007, Daniel Craig e Charlize Theron anunciaram o Oscar de melhor Ator Coadjuvante. Dois anos após ganhar por “Moonlight – Sob a Luz do Luar”, Mahershala Ali foi novamente agraciado, desta vez por “Green Book – O Guia”. Em seu discurso, ele agradeceu ao músico Don Shirley, tendo procurado através de sua atuação ser um reflexo da pessoa que ele foi e da vida que viveu. Ainda citou o diretor Peter Farrelly por sua “liderança e orientação” e seu parceiro de cena Viggo Mortensen. Ali agora se iguala a Denzel Washington em número de estatuetas.

Foto: Reprodução

Eu quero dedicar isso à minha avó que esteve no meu ouvido toda a minha vida me dizendo que se não tivesse sucesso na primeira vez que eu tentasse, tentasse novamente. Que eu podia fazer qualquer coisa que decidisse. Sempre, sempre me estimulando a pensar positivamente”, Mahershala Ali.

A atriz Michelle Yeoh e o cantor Pharrell Williams entregaram o prêmio de melhor Animação para “Homem-Aranha no Aranhaverso”. Um dos diretores, Peter Ramsey, foi o primeiro negro a conquistar esta categoria. Grande vencedora do Grammy, a cantora country Kacey Musgraves chamou a terceira Canção. “When a Cowboy Trades His Spurs For Wings”, de “The Ballad Of Buster Scruggs”, foi interpretada por seus compositores, Gillian Welch e David Rawlings.

Relembrando “Quanto Mais Idiota Melhor” (1992), Mike Myers e Dana Carvey se uniram novamente para apresentar o clipe de “Bohemian Rhapsody”. Estreando no Oscar, Awkwafina e John Mulaney brincaram com a situação. A Pixar acabou não saindo de mãos vazias, ficando com a estatueta de melhor Curta de Animação, por “Bao”, que é o primeiro do estúdio dirigido apenas por mulheres. Já a de melhor Curta de Documentário foi para “Absorvendo o Tabu”. O discurso da diretora Rayka Zehtabchi foi um dos mais espontâneos da noite.

“Eu não acredito que um filme sobre menstruação acabou de ganhar o Oscar”, disse a diretora do curta-metragem da Netflix. Foto: Reprodução

Apesar de Diego Luna ser mais conhecido, quem chamou a atenção ao apresentar o clipe de “Roma” foi o chef José Andrés que o elogiou por dar voz a aqueles que não têm, assim como por fazer se lembrar da compreensão e compaixão que todos devem ter pelas pessoas invisíveis em nossas vidas. Sarah Paulson e Paul Rudd ficaram a cargo de revelar o prêmio de Efeitos Visuais. Diante de blockbusters, “O Primeiro Homem” merecidamente se sobressaiu. Num dos momentos mais aguardados da cerimônia, Lady Gaga e Bradley Cooper ofereceram uma das performances musicais mais inesquecíveis da história do Oscar com “Shallow”, de “Nasce Uma Estrela”.

Foto: Reprodução

Entregue por Krysten Ritter, a Jessica Jons, e KiKi Layne, o prêmio de melhor Curta-metragem foi para “Skin”, do diretor israelense Guy Nattiv, sendo bastante comemorado. Prestes a invadirem os cinemas do mundo todo, Brie Larson e Samuel L. Jackson entregaram o Oscar de melhor Roteiro Original que ficou com Nick Vallelonga, Peter Farrelly e Brian Hayes Curie, de “Green Book – O Guia”. A dupla de “Capitã Marvel” também entregou o de Roteiro Adaptado que foi para “Infiltrado na Klan”. Em sua primeira vitória, apesar de já ter um Oscar honorário, Spike Lee recebeu do amigo a estatueta e no discurso mais politizado da noite foi ovacionado.

Foto: Reprodução

“Hoje é 24 de fevereiro, o mês mais curto do ano. Também é o mês do ano da Consciência Negra. 1619… Há 400 anos nós fomos roubados da África e trazidos para a Virginia, escravizados. A minha avó que viveu até 100 anos de idade, apesar de sua mãe ter sido escrava, conseguiu se formar. Ela viveu anos com seu seguro social e conseguiu me levar para a universidade NYU. Diante do mundo, eu gostaria de reverenciar os ancestrais que construíram esse país e também os que sofreram genocídios. Nos todos nos conectamos com nossos ancestrais. Vamos recuperar o amor e a sabedoria, vamos recuperar a nossa humanidade. As eleições de 2020 estão chegando. Vamos nos mobilizar, estar do lado certo da história. Faça a escolha moral entre amor versus ódio. Vamos fazer a coisa certa”, Spike Lee.

Voltando à música, mas mantendo os apresentadores no universo dos super-heróis, Michael B. Jordan e Tessa Thompson entregaram o prêmio de melhor Trilha Sonora para Ludwig Göransson, encerrando a campanha bem-sucedida de “Pantera Negra” e da Marvel. Sem nenhuma surpresa e muito merecido, Constance Wu e Chadwick Boseman proclamaram “Shallow” como a melhor Canção do ano. Lady Gaga subiu ao palco emocionada, junto com os co-autores Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt. Ela agradeceu os pais, a irmã e seu diretor e parceiro de cena, Bradley Cooper, dizendo não haver nenhuma outra pessoa no mundo que pudesse cantar a música com ela, além dele.

Foto: Reprodução

“Eu trabalhei duro por muito tempo e não é sobre vencer, é sobre não desistir. Se você tem um sonho, lute por ele. Existe uma disciplina para a paixão. E não é sobre quantas vezes você é rejeitado ou quantas vezes você caiu e foi derrotado. É sobre quantas vezes você levantou com coragem e seguiu em frente”, Lady Gaga.

Apresentado pelo presidente Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, John Bailey, o segmento In Memoriam relembrou grandes nomes que partiram. Dentre eles, Stan Lee, Albert Finney, Burt Reynolds, Bernardo Bertolucci, Bruno Ganz e o brasileiro Nelson Pereira dos Santos. De forma muito pessoal, Barbra Streisand se fez ser notada ao introduzir o clipe de “Infiltrado na Klan”. Vencedores do ano passado por “O Destino de Uma Nação” e “Eu, Tonya”, Gary Oldman e Allison Janney revelaram o melhor Ator.

Por sua interpretação em “Bohemian Rhapsody”, Rami Malek foi o grande vencedor. Após agradecer seus pais, ele disse ter uma dívida eterna com Brian May e Roger Taylor, membros remanescentes do Queen, por terem apostado nele. Também fez questão de homenagear Freddie Mercury. “Ele era um garoto tentando descobrir sua identidade”, definiu. “Para os garotos por aí que estão tentando descobrir a sua, nós estamos aqui celebrando um homem gay, filho de imigrantes, que sempre foi verdadeiro consigo mesmo”.

Foto: Reprodução

“O fato de eu estar celebrando ele e sua história com vocês hoje à noite é a prova de que estamos ansiando por histórias como essa. Eu sou filho de imigrantes do Egito. Eu sou um americano de primeira geração. Parte da minha história está sendo escrita agora e eu não poderia estar mais grato a cada um de vocês e a todos que acreditaram em mim por este momento. É algo que vou valorizar para o resto da minha vida”, Rami Malek.

            Considerado um ícone dos direitos civis, o congressista John Lewis apresentou, ao lado da atriz Amandla Stenberg, o clipe do último indicado a melhor Filme, “Green Book – o Guia”. Ganhadores por “Três Anúncios Para Um Crime”, Frances McDormand e Sam Rockwell anunciaram o Oscar mais surpreendente da noite, o de melhor Atriz. Olivia Colman fez jus ao título de seu filme, “A Favorita” e ficou com a estatueta. Com emoção e bom humor, ela agradeceu a família, seu diretor, Yorgos Lanthimos, e suas parceiras de cena, Emma Stone e Rachel Weisz, “as duas mulheres mais adoráveis do mundo”. Também fez questão de homenagear sua maior concorrente, Glenn Close. “Você é meu ídolo há tanto tempo e não era assim que eu queria que acontecesse. Eu te acho incrível, muito obrigada. Eu amo todos vocês”.

Foto: Reprodução

“Para aquela pequena garota que praticava seus discursos, olha só, tudo pode acontecer. Eu trabalhava como faxineira e eu amava aquele emprego. Eu passava a maior parte do tempo imaginando isso [a vitória no Oscar]”, Olivia Colman.

Vencedor do ano passado por “A Forma da Água”, o mexicano Guillermo Del Toro, entregou o prêmio de melhor Diretor para seu compatriota Alfonso Cuarón. “Eu quero agradecer à Academia por reconhecer um filme que trata de uma mulher indígena. Uma das 70 milhões de empregadas domésticas sem direitos trabalhistas. Uma personagem historicamente sempre deixada para trás”. Ressaltou o cineasta que fez história ao conquistar três Oscars em uma só noite.

“O nosso trabalho é olhar para onde ninguém olha. Essa responsabilidade se torna muito maior numa época onde estamos sendo encorajados a não olhar. Muito obrigado Libo [que era o nome de sua babá e que inspirou o filme]”, Alfonso Cuarón.

Para revelar o Oscar mais cobiçado, Julia Roberts surgiu radiante no palco. Após uma temporada repleta de controvérsias e desconfianças, mas também com muita diversidade e representatividade, “Green Book – O Guia” foi considerado o melhor Filme. “Essa é uma história de amor. Sobre sabermos amar uns aos outros apesar das diferenças”, agradeceu o diretor Peter Farrelly, em um tom de reconciliação com aqueles que criticaram a sua obra.

Foto: Reprodução

Uma das reações contrárias à escolha foi a de Spike Lee. Enquanto a equipe do longa subia ao palco, ele virou de costas e foi para o fundo do teatro Dolby. Posteriormente, o cineasta brincou com a situação dizendo que “sempre que tem alguém dirigindo outra pessoa, eu perco”, em referência a “Faça a Coisa Certa”, que nem sequer foi indicado em 1990, e o vencedor foi “Conduzindo Miss Daisy”.

A seguir, confira a lista completa com os vencedores.

.

Melhor Filme

“Pantera Negra”

“Infiltrado na Klan”

“Bohemian Rhapsody”

“A Favorita”

“Green Book – O Guia”

“Roma”

“Nasce Uma Estrela”

“Vice”

.

Melhor Direção

Spike Lee – “Infiltrado na Klan”

Alfonso Cuarón – “Roma”

Pawel Pawlikowski – “Guerra Fria”

Yorgos Lanthimos – “A Favorita”

Adam McKay – “Vice”

.

Melhor Ator

Bradley Cooper – “Nasce Uma Estrela”

Christian Bale – “Vice”

Rami Malek – “Bohemian Rhapsody”

Viggo Mortensen – “Green Book – O Guia”

Willem Dafoe – “No Portal da Eternidade”

.

Melhor Atriz

Lady Gaga – “Nasce Uma Estrela”

Glenn Close – “A Esposa”

Olivia Colman – “A Favorita”

Melissa McCarthy – “Poderia Me Perdoar?”

Yalitza Aparicio – “Roma”

.

Melhor Ator Coadjuvante

Mahershala Ali – “Green Book – O Guia”

Adam Driver – “Infiltrado na Klan”

Sam Elliott – “Nasce Uma Estrela”

Richard E. Grant – “Poderia Me Perdoar?”

Sam Rockwell – “Vice”

.

Melhor Atriz Coadjuvante

Amy Adams – “Vice”

Marina De Tavira – “Roma”

Regina King – “Se a Rua Beale Falasse”

Emma Stone – “A Favorita”

Rachel Weisz – “A Favorita”

.

Melhor Roteiro Original

Deborah Davis e Tony McNamara – “A Favorita”

Alfonso Cuarón – “Roma”

Adam McKay – “Vice”

Nick Vallelonga, Peter Farrelly e Brian Hayes Curie – “Green Book – O Guia”

Paul Schrader – “No Coração da Escuridão”

.

Melhor Roteiro Adaptado

Joel Coen & Ethan Coen – “The Ballad of Buster Scruggs”

Nicole Holofcener e Jeff Whitty – “Poderia Me Perdoar?”

Barry Jenkins – “Se a Rua Beale Falasse”

Eric Roth, Bradley Cooper & Will Fetters – “Nasce Uma Estrela”

Charlie Wachtel, David Rabinowitz, Kevin Willmott e Spike Lee – “Infiltrado na Klan”

.

Melhor Filme em Língua Estrangeira

“Nunca Deixe de Lembrar” (Alemanha)

“Assunto de Família” (Japão)

“Cafarnaum” (Líbano)

“Roma” (México)

“Guerra Fria” (Polônia)

.

Melhor Trilha Sonora

Ludwig Göransson – “Pantera Negra”

Nicholas Britell – “Se a Rua Beale Falasse”

Alexandre Desplat – “Ilha dos Cachorros”

Terence Blanchard – “Infiltrado na Klan”

Marc Shaiman – “O Retorno de Mary Poppins”

.

Melhor Canção Original

“All The Stars” – “Pantera Negra”

“I’ll Fight” – “RBG”

“The Place Where Lost Things Go” – “O Retorno de Mary Poppins”

“Shallow” – “Nasce Uma Estrela”

“When a Cowboy Trades His Spurs For Wings” – “The Ballad Of Buster Scruggs”

.

Melhor Documentário

“Free Solo”

“Hale County This Morning, This Evening”

“Minding the Gap”

“Of Fathers and Sons”

“RBG”

.

Melhor Mixagem de Som

“Pantera Negra”

“Roma”

‘Bohemian Rhapsody”

“O Primeiro Homem”

“Nasce Uma Estrela”

.

Melhor Edição de Som

“Pantera Negra”

“Bohemian Rhapsody”

“O Primeiro Homem”

“Roma”

“Um Lugar Silencioso”

.

Melhor Animação

“Os Incríveis 2”

“Ilha dos Cachorros”

“Mirai”

“WiFi Ralph: Quebrando a Internet”

“Homem-Aranha no Aranhaverso”

.

Melhor Edição

Barry Alexander Brown – “Infiltrado na Klan”

John Ottman – “Bohemian Rhapsody”

Yorgos Mavropsaridis – “A Favorita”

Patrick J. Don Vito – “Green Book – O Guia”

Hank Corwin – “Vice”

.

Melhor Design de Produção

“Pantera Negra”

“A Favorita”

“O Primeiro Homem”

“Roma”

“O Retorno de Mary Poppins”

.

Melhor Fotografia

Lukasz Zal – “Guerra Fria”

Robbie Ryan – “A Favorita”

Alfonso Cuarón – “Roma”

Matthew Libatique – “Nasce Uma Estrela”

Caleb Deschanel – “Nunca Deixe de Lembrar”

.

Melhores Efeitos Visuais

“Vingadores: Guerra Infinita”

“Christopher Robin – Um Reencontro Inesquecível”

“O Primeiro Homem”

“Jogador Nº 1”

“Han Solo: Uma História Star Wars”

.

Melhor Figurino

Mary Zophres – “The Ballad of Buster Scruggs”

Ruth Carter – “Pantera Negra”

Sandy Powell – “A Favorita”

Sandy Powell – “O Retorno de Mary Poppins”

Alexandra Byrne – “Duas Rainhas”

.

Melhor Maquiagem & Cabelo

“Border”

“Vice”

“Duas Rainhas”

.

Melhor Curta-Metragem

“Detainment”

“Fauve”

“Mother”

“Marguerite”

“Skin”

.

Melhor Curta de Documentário

“Black Sheep”

“End Game”

“Lifeboat”

“A Night at the Garden”

“Period. End of Sentence. (Absorvendo o Tabu)”

.

Melhor Curta de Animação

“Animal Behaviour”

“Bao”

“Late Afternoon”

“One Small Step”

“Weekends”

Moisés Evan

Formado em Jornalismo, acredito na cartilha de "The Post", e também em Publicidade, mas sem a intenção de fazer "Três Anúncios para Um Crime". Como "Lady Bird", ao alçar voo para outras bandas, cheguei até aqui. Tem horas que o mundo parece nos envolver numa "Trama Fantasma" ou nos colocar numa enrascada como em "Dunkirk". Não vou mudar "O Destino de Uma Nação" escrevendo sobre o que mais amo, mas sempre que eu postar, espero que você "Corra!" para ler e não tenha receio de comentar e/ou discordar. "Me Chame Pelo Seu Nome"? Melhor não. Mas pode ser pôr @sr.lanterninha. Vivo num mundo de sonhos e monstros e um dia hei de descobrir "A Forma da Água" em seu estado mais bruto e belo.

%d blogueiros gostam disto: