seg. mar 30th, 2020

Sonic – O Filme (2020) | Crítica

     Adaptações de jogos sempre geram dúvidas e quando são lançadas, geralmente o resultado fica aquém do esperado, é comum ver fãs se “digladiando” ou unidos contra a produtora. Em Sonic esse embate começou de forma precoce, no primeiro teaser o que chamou atenção de cara foi o visual do personagem título, o alto barulho fez com que o Studio modificasse a imagem do personagem e aqui deixo a minha primeira ressalva: estava esquisito, estranho, mas essa era a proposta, eu tinha aceitado; não que a mudança tenha sido ruim, mas é um caminho perigoso, isso pode se tornar recorrente e decisivo em outras produções, é um assunto que precisa ser tratado com cautela, ouvir os fãs sempre é uma boa saída e suas opiniões precisam participar das decisões, mas em alguns casos, a moderação precisa existir para que a coisa não saia do controle e de repente tudo gerar um grande tumulto.

     Se nos games o jogador é convidado a participar do mundo do Ouriço Azul, aqui nós que o convidamos a vir para o nosso mundo. É uma boa sacada do roteirista Joshua Miller, isso deu a dinâmica necessária para que a interação dos personagens entrasse no campo da “realidade” aos olhos do público, muito se imaginava como seria essa relação entre o mundo que conhecemos do Sonic e a transição com o mundo real. A Sega é uma empresa mundialmente conhecida e estrategicamente sua logomarca antes do início já traz um apanhado dos principais jogos da década de 80 e 90, rapidamente notou-se vários “eita, Golden Axe”, “eita F-1 Grand Prix”, nas sessões não será diferente, o fã dessa época já será fisgado, os novos perceberão isso e embarcarão na onda também. Outra coisa interessante nesse aspecto é a transição dos mundos, vários elementos de vários jogos da franquia podem ser observados e com 5 minutos você já está à vontade para dar sua chance a adaptação.

     A direção de Jeff Fowler, que tem um currículo modesto, esse é seu segundo filme, o primeiro é Onde Vivem Os Monstros de 2010, trabalha sobre um roteiro simples e leve, que se divide nos tradicionais atos sem a necessidade de se aprofundar em vários temas, apresentando leves camadas do protagonista afim de contexto apenas, foi o suficiente. O currículo de Jeff Fowler diz que ele é diretor de efeitos especiais e essa experiência o ajudou a criar seu mundo, Sonic entrega todas as características prometidas, ágil, frenético, hiperativo, palpável, em poucos momentos você percebe qualquer recorte ou uma distorção da imagem na cena, as poucas vezes que isso acontece é quando os drones do vilão estão em ação, no mais os efeitos visuais do filme agrada, embora muitas vezes o diretor opte em não usar o toque entre os personagens, acredito que essa escolha tenha sido por conta das mudanças visuais, seria muita coisa para corrigir em pouco tempo, atrasar o filme seria perder receita devido ao calendário de estreias.

     Vale destacar no Sonic o trabalho de dublagem do ator Bem Schwartz, a voz e seus tons casam bem com o que é visto no personagem, Sonic é muito expressivo e a voz tem que acompanhar isso. James Marsden é um nome que certamente ajudou o diretor no set, sua experiência com trabalhos em que se atua com personagens digitais o deixou bastante a vontade aqui e provavelmente essa mesma experiência ajudou o elenco também, a atriz Tika Sumpter, que é a sua par no filme, teve um pouco de dificuldade nas primeiras cenas com o Ouriço, você percebe o olhar não direcionado 100%, mas que depois isso foi normalizando. Diferente dela, outro ator que ficou bem a vontade foi Jim Carrey, fazia tempo que o astro não arrancava tantas risadas com os seus tradicionais trejeitos, tudo que aprendemos a admirar no ator está aqui, adaptando seu estilo ao personagem, Doctor Robotnik, Carrey entrega sua melhor versão nos últimos anos e mais uma incrível dança.

     Sonic – O Filme é uma produção dinâmica, divertida, que vai agradar diferentes públicos e que traz a esperança de boas adaptações dos games para o cinema, tendo o trato merecido será uma promissora franquia. Existem duas cenas pós créditos, as duas são relevantes para o universo do personagem, mas a segunda teve mais cara de fã servisse, finalizada as pressas. É um filme que vai superar as expectativas de muita gente, visto que o assunto mais comentado ainda era o antigo visual do ouriço.

  • Sonic O Filme
  • Duração: 99 minutos
  • Diretor: Jeff Fowler
  • Roteiro: Josh Miller
  • Elenco: Jim Carrey, James Marsden, Bem Schwartz, Tika Sumpter, Natasha Rothwell
%d blogueiros gostam disto: