Thor: Ragnarok (Idem, 2017) | Revisão

A capacidade da Marvel em tratar o mundo de Asgard nos cinemas foi bem demonstrada no primeiro filme do Thor, introduzindo bem o Deus do Trovão, e mostrando o quanto a terra é só um pequeno planeta perante os outros. Porém em Thor: O Mundo Sombrio, por mais que todo cuidado visual tenha continuado, a Marvel não conseguiu tratar bem sua sequência. Agora, no terceiro e último filme do Thor nessa fase, fica nas mão de Taika Waititi para transformar esse filme em algo mais descomprometido, e que eleva o humor da Marvel ao seu nível.

Na proposta de trazer o Deus do Trovão para um tom mais cômico, foi preciso esforço de Chris Hemsworth em mudar toda sua construção de Thor dos últimos filmes, e o ator, que tem bons momentos na comédia, consegue fazer isso bem, apesar de escorregar em alguns momentos. A visão para Ragnarok, era de homenagem ao Jack Kirby, um dos maiores quadrinistas da história da Marvel, que fica bem representado nas cores, e também tentar finalizar a história de Asgard de uma maneira diferente, que funciona, para toda a construção desse fechamento de arco.

Vemos personagens novos e antigos demonstrarem uma química humorística e de ação que nem os próprios Vingadores conseguiram em dois filmes. Thor, Hulk, Loki e a Valquíria são os pontos altos do filme, adicionando a primeira e grande vilã Hela, que entrou facilmente no hall de uma dos melhores vilões da Marvel.

Hela tem em sua motivação a conquista, ela foi criada apenas para acompanhar Odin na colonização de novas civilizações, nos tempos mais obscuros de Asgard. Depois de ter sido trancada por vários anos, sua volta não serviria para outro propósito se não voltar a conquistar. Ela é feroz, e praticamente imbatível, a Deusa da Morte é uma grande adição ao mundo Marvel.

Enquanto isso, Thor precisa sobreviver em outros cantos do universo, caindo diretamente em Sakar, onde o filme aproveita uma parte do arco de Planeta Hulk, para adicionar o personagem na história, e restabelecer o clima que os dois construíram nos filmes dos Vingadores. Culminando em uma grande luta, que muitos queriam ver. Loki, no entanto, continua sendo o mesmo, mas sem perder o carisma, sempre tentando sobreviver com as melhores oportunidades que estão na sua frente. Valquíria foi outra grande adição no elenco, com Tessa Thompson inspiradíssima em uma mulher mortal, extremamente habilidosa, que sofreu com os traumas deixados em Asgard, e consegue ter a coragem para trazer sua honra de volta. Sem contar Jeff Goldblum que brilha como o Grandemestre.

O novo filme do Thor ainda sofre com piadas mal colocadas, e algumas confusões na narrativa, como o final da vilã, que não foi muito bem aceito, mas nada que estrague a experiência. Vemos toda a criatividade e mundos novos no vasto universo cósmico do estúdio, onde temos grandes possibilidades, volto a ressaltar.

Thor: Ragnarok ganha por ser descomprometido, e ainda assim contar bem uma nova história, a melhor das três do deus de Asgard, fechando uma trilogia que precisava de um filme bom, para não cair tanto no esquecimento. O objetivo foi bem alcançado, ele diverte bastante.

Thor: Ragnarok (Idem, 2017) | Revisão

 

  • Duração: 130 min.
  • Direção: Taika Waititi
  • Roteiro: Christopher Yost , Craig Kyle
  • Elenco: Chris Hemsworth , Tom Hiddleston , Mark Ruffalo , Lou Ferrigno , Idris Elba , Cate Blanchett , Tessa Thompson, Jeff Goldblum

Thor: Ragnarok (Idem, 2017) | Revisão

8

Nota

8.0/10

Rafinha Santos

Depois de lutar ao lado de Aragorn na Terra Média, enfrentar a Matrix junto com Neo e salvar o planeta de novo junto com Os Vingadores, viajei para uma galáxia muito muito distante, e fiquei recluso no planeta Hoth por muitos anos, até saber que Luke Skywalker foi finalmente encontrado por uma menina chamada Rey. Aparentemente é o tempo dos Jedis acabarem... Porém, durante minha busca pelo último templo Jedi, minha nave deu pane de vim parar em outra galáxia. Nela, todas esses eventos que eu citei são mera ficção, e agora escrevo críticas sobre eles... É como Rick me diria: Não pense nisso!

%d blogueiros gostam disto: