seg. fev 17th, 2020

You Were Never Really Here (2018) | Crítica

O cinema já nos apresentou diversos heróis, dos mais honrados, aos mais complexos, mas a arte de nos apresentar anti-heróis quebrados, é o que torna um filme diferente dos demais, e acrescenta um peso nas ações dessas pessoas que encontram na dor, uma saída. Entregando seus corpos a serviço de proteger um indivíduo, resolver uma situação, e encontrar a sua devida redenção.

Em You Were Never Really Here encontramos mais um anti-herói. Joe anda pelas noites, no melhor estilo Táxi Driver, resolvendo situações em troca de dinheiro. O filme claramente se preocupa em esconder seu passado, mas não totalmente. Enquanto acompanhamos sua jornada, vemos os flashbacks de sua vida, desde infância até o seu último serviço pelo FBI, onde possivelmente abandonou sua carreira.

É interessante ressaltar o estudo desse personagem, que anseia pela morte, anda no limite, e tem na brutalidade a sua fuga do mundo real. Andar lado a lado com seus traumas, é a rotina do homem perdido, que tem no seu último serviço, sua chance de redenção, sua possível fuga da morte. É quando tudo começa a dar errado.

A diretora opta por contar uma segunda história por meio de flashbacks, muitos utilizados de forma interessante, e não cansam o expectador, que cada vez vai entendendo a infância e a vida adulta do nosso protagonista. O filme tem belas cenas noturnas, e muitas vezes opta por mostrar a ação de formas diferenciadas, e não se preocupa em criar belas cenas de luta, pois o foco do filme são seus personagens silenciosos. Acompanhamos muito da ação por câmeras estáticas. Lynne Ramsay tem uma direção segura, se preocupando em entregar um filme  fechado, e um pouco mais pessoal. A cena no fundo do rio é linda. Ela já teria demonstrado algo semelhante na direção de Precisamos Falar sobre Kevin.

Joaquin Phoenix entrega um de seus melhores papéis na carreira – algo que me lembrou muito o seu papel em O Mestre do PTA- internalizando sentimentos, entregando belas cenas de coragem e fraqueza ao mesmo tempo. Enquanto a estreante Ekaterina Samsonov, ótima revelação, entregava a inocência e a destreza necessária para Nina, sua personagem, que compartilha boa parte do filme junto de Joaquin, sem decepcionar. 

You Were Never Really Here – ou em tradução livre, Você Realmente Nunca esteve Aqui, algo que se relaciona bem com a mente do protagonista – mostra o choque da inocência, trauma e brutalidade. É mais uma história do anti-herói que busca sua libertação, e tem na violência sua resposta mais imediata.

You Were Never Really Here (2018) | Crítica

  • Duração: 90 min
  • Direção: Lynne Ramsay
  • Roteiro: Lynne Ramsay
  • Elenco: Joaquin Phoenix , Ekaterina Samsonov , Alessandro Nivola , Alex Manette , John Doman, Judith Roberts , Ryan Martin Brown

You Were Never Really Here (2018) | Crítica

10

Nota

10.0/10
%d blogueiros gostam disto: