novembro 30, 2020

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Revisão

Tony Stark é o herói mais famoso e valioso da Marvel, muito se deve ao grande sucesso que foi Robert Downey Jr. interpretando com valor quase autobiográfico no filme que iniciou a campanha da empresa nos cinemas. O segundo filme viria a agradar novamente, sendo um filme bom, mas que pecou na hora da escolha e resolução do vilão. Homem de Ferro 3 mantém o nível do segundo, mas de novo peca em alguns aspectos.

Após os eventos de Os Vingadores, cada membro da equipe seguiu um rumo diferente, e não sabemos o estado mental de cada personagem. Em seu terceiro filme, vemos que Tony está tentando ocupar a cabeça em sua oficina, construindo novas armaduras, sem dormir por dias, em constante estado de alerta.

O medo interno do personagem é muito bem explorado, Tony passou meses criando novas armaduras para se proteger de qualquer novo ataque, e para piorar toda a situação, ele está sofrendo constantes crises de ansiedade. É interessante a Marvel tentar discutir um tema sério – sem mudar completamente seu tom – para construir uma tensão no personagem, demonstrando o que ele esconde por trás de sorrisos e sarcasmos. O problema nisso tudo, é não ser corajoso para continuar com isso.

Até metade do filme, Tony sofre com crises constantes, e na outra metade, não fica claro se ainda existe o problema. No meio disso tudo, piadas desnecessárias são introduzidas para lembrar de que o filme não é tão sério assim, e eu entendo o limite de idade, porém se não for pra discutir um tema seríssimo assim a fundo, então nem comece.

Felizmente, o vilão foi outro, mas infelizmente, a mistura Extremis com Mandarim, foi uma grande decepção para os fãs. A boa notícia é que todo o esquema de manipulação da mídia, de esconder o verdadeiro vilão, é uma ideia genial, e funciona muito bem. É algo corajoso de se fazer, considerando ser um filme de herói. O problema é que o verdadeiro Mandarim poderia ter sido melhor aproveitado, é um vilão clássico dos quadrinhos e teria muito potencial. (Esqueçam aquele curta que saiu depois, foi apenas esquema para acalmar os fãs).

Outro ponto alto do filme, é ter boas cenas de ação, apesar de eu preferir a direção de Jon Favreau no lugar de Shane Black. A cena da queda da mansão é toda bem coreografada e bonita em termos visuais, a queda do avião tem uma resolução divertida, e o clímax da batalha final também é bom, apesar de ser apenas um motivo pra vender mais bonecos, fica justificado a construção de tantas armaduras.

Eu não condeno Homem de Ferro 3, mas algumas decisões de roteiro foram muito falhas e acabaram prejudicando o filme, numa mistura de coragem e covardia. Eu gostei de rever, ainda é o mesmo Tony Stark que conhecemos.

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Crítica

  • Duração: 130 min.
  • Direção: Shane Black
  • Roteiro: Shane Black, Drew Pearce
  • Elenco: Robert Downey Jr. , Gwyneth Paltrow , Guy Pearce , Don Cheadle , Ben Kingsley ,Rebecca Hall , Jon Favreau

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3, 2013) | Revisão

4

Nota

4.0/10
%d blogueiros gostam disto: