Vamos Falar de Polêmicas #08 – O mau comportamento das pessoas no cinema e como podemos solucionar.

Eu não sou muito de concordar com ditos populares, mas tenho que admitir que não existe equívoco quando se afirma que “ta difícil ir aos cinemas hoje em dia”, não so por conta de preços abusivos, mas tambem por conta do constante comportamento mal-educado das pessoas nesse ambiente. Dos mais simples ao chegar atrasado e se sentar fora do seu lugar marcado até os mais absurdos como usar o celular e conversar alto durante o filme, em todo lugar e há toda hora vemos exemplos de atos equivocados na sala de cinema. Entender esse “fenômeno” é muito mais complexo do que pensa, ele reflete diversas camadas de um problema do cidadão na sociedade como um todo.

Se a pessoa tem costume de desrespeitar a regras ou ter comportamentos antiquados em qualquer ambiente, isso irá refletir sua postura na hora de uma sessão. Ambas características que o cidadão brasileiro faz de melhor, burlar regras, dá o seu “jeitinho”, querer se aparecer demais e o pior, ser indiferente como relação ao outro. Existem casos e casos, a pessoa pode ser leiga por exemplo, não viver dentro daquele ambiente ou não consumir sempre aquilo, ou nunca ter consumido, o que torna situações isoladas até defensáveis pela sua falta de conhecimento. Porém, como em todo lugar, a regras a serem seguidas são expostas, nesse caso, antes de qualquer sessão, pelo menos as mais básicas serão reforçadas para até o mais leigo entender e assim, basta apenas sua sensibilidade para filtrar aquelas informações e pensar nos outros que estão ao seu redor.

Colocando esse e o fato dessas estarem pagando para consumir aquilo, não tem como justificar esses comportamentos, essa pessoa pode está detestando a experiencia, mas não deve usar isso como desculpa para atrapalhar os outros, até por que você não é preso no cinema, em qualquer momento você pode sair e é o melhor a se fazer estando dentro de qualquer situação que venha a atrapalhar o outro. O pior é como falado, quando a pessoa tem consciência do que está fazendo e ainda faz como alguma forma de se amostrar, são inúmeros casos que acontecem com todo mundo onde a experiencia foi quebrada por conta de um grupo de pessoas, normalmente jovens para fazer baderna. Não que ir ao cinema com os amigos não seja algo saudável, até defendo a ideia da empolgação de grandes estreias, onde os sentimentos são pontuais e naturais diante do filme, até atrapalha a experiencia, agora esses casos são praticamente exceções, o que deveria ser o contrário.

Muito da culpa vem das redes de cinema também que sofrem de uma melhor previa de organização antes das sessões, principalmente no que diz respeito a compra de lanches, além de uma total indiferença com o que acontece dentro dela. A respeito da organização, é claro que a maior parte das vezes será culpa da pessoa individualmente por chegar atrasada dentro de motivos específicos ou não, contudo, há uma parcela de culpa na falta de habilidade de atendentes e/ou do sistema, principalmente quando se trata de grandes estreias, onde filas causam atrasos desnecessários. O sistema pode ser muito mais prático na burocracia das compras de ingresso, bem como mais objetivo na forma com que vende a comida, uma redução nos preços abusivos em notas mais fechadas ajudaria, principalmente a ajudar o consumidor a decidir mais rápido o que deseja.

Com relação a indiferença, ela é representada pela ausência dos “lanterninhas” por exemplo, que já serviriam de uma boa ajuda a tentar manter o controle da situação ao proporcionar, mesmo que atrapalhando a experiencia momentaneamente, a retirada imediata das pessoas atrapalhando a sessão por qualquer motivo. A presença de alguém para impor a regra já terá um efeito de pressagio em quem vai para a sessão, sabendo que a qualquer momento pode ser retirado caso faça algo que não está na regra, é disciplinador e prático, contudo, não é suficiente, por que quem faz mesmo diante dessas circunstancias pode fazer de novo. Com isso, as redes cinematográficas poderiam aderir junto a um sistema mais prático de vendas, alguma forma de proibir a entrada dessas pessoas, pelo menos por algumas sessões e caso se repita, proibir novamente com prazo maior ou até convite para saída.

Infelizmente essas duas soluções não vão impedir totalmente a formação de novos empecilhos durante uma sessão, é um problema insolúvel que vai continuar acontecendo em todos os cantos, seja no Brasil ou no Mundo. O problema é que essas situações não podem virar senso comum, elas precisam ser combatidas de uma fora que vire apenas uma exceção, algo que já não é mais no cenario nacional. É impossível assistir um filme de terror sem risadas ou conversas ou sair de uma sessão olhar para trás e não ter todos os corredores entupidos de lixo ou não ter ao menos uma pessoa pegando o celular ao meio do filme, dentre outras atitudes que precisam ser combatidas de dentro para fora. Não é do nada que algo banal muda, então dolorosamente até esse comportamento mudar, vejo necessidade em pensar saídas mais objetivas e até mesmo impostoras, para preservar a experiencia de quem realmente está prezando para ela.

%d blogueiros gostam disto: